Review Grasshopper Cotton Onbuhimo

 

 

Marca: Soul

Modelo: Grasshopper Cotton

Composição: 100% algodão

Painel: Largura 45cm, Altura 46cm

Cor: Verde & Azul Escuro

 

 

Olá malta, então cá venho eu escrever-vos novamente. Como têm passado? Bem nós temos aqui um toddler que já não quer muito colo, mas ainda hoje pegou num pano e veio pedir “olinho mama”, bem são aqueles raríssimos momentos que nem penso duas vezes e o enrolo logo a mim.

Bem hoje venho-vos falar sobre um Onbuhimo da minha queridíssima Soul. Iniciei a minha review falando do meu toddler precisamante para vos introduzir este porta bebés. Ele é recomendado para bebés que já tenham total controlo da coluna, cabeça e saibam sentar sem qualquer tipo de apoio. Um onbu, como é popularmente chamado, é perfeito para bebes que já andam, pois muito embora eles já andem, corram, saltem como é o caso aqui em casa , mas também cansam muito rápido as suas pequenas pernas e pedem colinho, mas ao mesmo tempo recuperam com uma velocidade alucinante e logo querem descer. Então para este sobe e desce ele é muito bom.

A Soul cativa-me imenso pelas suas cores vibrantes, quando pensamos em Índia pensamos logo naquelas lindas e saturadas cores, que principalmente as mulheres usam nos seus maravilhosos saris.

Este onbu é feito 100% algodão num tom de verde lindo, aquele verde que salta á vista, não por ser florescente, mas por ser uma cor super saturada e rica, tem ainda umas delicadas folhas num tom azul escuro que combinam perfeitamente.

Soul Onbuhimo é um portador de fivela sem cintura de inspiração japonesa com ajustadores Perfect Fit (PFAs) no topo das alças.

Ele tem um toque super fresco, não é macio nem áspero, na verdade ao toque quase lembra o linho por ser fino e fresco. Tem um painel bem largo (45cm) o que fornece uma boa amplitude de acento e uma longa durabilidade. A nível de painel em altura também é bastante alto (46cm) mas é facilmente contornado caso o bebé seja mais baixo, podendo aumentar o seu assento, fica bem reforçado e assim diminui o painel. Um contra dele é o facto de não ser evolutivo, pois sendo um bebé baixo muito embora consigamos contornar a questão da altura do painel não é possível alterar a sua largura e poderá levar ao esforço de uma abertura entre pernas. Na região onde faz o apoio dos joelhos é almofadado o que confere um maior conforto ao bebé. As alças têm um pequeno ajuste o que facilita para deixar o bebé mais alto num porte ás costas. As suas alças na minha opinião são demasiado almofadadas o que acaba perdendo um pouco a sua mobilidade e me faz sentir mais tensão nos ombros.

Um onbu além de ser perfeito para toddler é também para quem carrega mais um na sua barriga, pois como ele não tem cinto nem qualquer passe horizontal fica toda a região abdominal livre.

Já perguntaram se também é possível carregar com um onbu à frente, sim tudo é possível e a tudo nos podemos adaptar, no entanto ele como não tem este apoio lombar irá forçar um fechamentos dos ombros o que pode provocar muitas dores a quem o carrega, mas de facto é super possível e é tudo uma questão de conforto.

Ele possui também uma faixa horizontal que serve para unir as alças. Um outro detalhe que me agradou bastante foi o seu longo “capuz” pois para quando eles adormecem conseguimos com uma certa facilidade puxar e fornecer um bom apoio à cabeça do bebé adormecido.

Para mim um onbu não é a forma mais confortável de carregar por longos períodos, pois mesmo que não seja um bebé muito pesado eu sinto a necessidade do terceiro ponto de apoio, o lombar, ao ficar com todo o peso nos ombros mesmo todo bem ajustado e com o meu pirata bem calminho acabo por sentir demasiado o seu peso e fico muito desconfortável e com dores nas costas. Mas é claro que como em todos os porta bebés cada caso é um caso e isso varia imenso de corpo para corpo.

Bem não vou alongar mais, deixo-vos umas fotos muito especiais e diferentes, pois saímos para dar uma volta , mas alguém se cansou e não quis a mãe desta vez, e entre muitas brincadeiras radicais saíram umas coisas giras. Espero que tenham gostado e até à próxima pessoal.

Beijinhos meus e do meu piratinha radical.

 

Ana Rodrigues