Review Eiliean

 

Marca: Vatanai
Modelo: Eiliean
Tamanho: 6
Gramagem: 234 g/m2
Composição: 60% Algodão 40% Seda de Bourette 
Produzido: República Checa

Cor: Azul claro e escuro

 

Vim de fugida, porque estamos de férias, apresentar-vos o nosso primeiro pano de tecido. O pano escolhido para carregar o nosso bebé quando ele era ainda um feijãozinho.

Apresento-vos o "Massas".

 

 

 

Olá a todos!

O meu nome é "Massas". Fui assim gentilmente apelidado pela primogênita da família Santos.

Por aconselhamento, eu fui o escolhido para testemunhar o crescimento, ainda in útero, do Baby A. e acompanhá-lo no seu crescimento até deixar de ser carregado ou pelo menos assim o espero.

 

Mas antes de contar essa história vou falar-vos um bocadinho sobre mim e a minha casa.

O meu nome é Eiliean e faço parte da Coleção Labirinth e tenho um monte de irmãos e irmãs giros de morrer. Sou fabricado na República Checa e feito de algodão e seda.

 

Hum seda, este doce e cheiroso material que faz derreter corações.

Sim eu derreto corações, não são todos os meus irmãos e irmãs ou até outros panos que se podem dar ao luxo de cheirar como eu, a seda.

Mas, não me destaco apenas pelo meu odor, mas também pelo meu toque. Os 40% de seda Bourette que me constituem, não me conferem apenas um odor magnífico, mas também me dão uma macieira e suavidade irresistível ao toque.

 

Cheiroso e suave!? O que mais poderiam pedir de mim?

Pois eu conto-vos mais, sou um pano fininho com apenas 234g/m2 e por isso perfeito para recém nascidos mas não se deixem enganar, sou perfeito também para toodlers em portes de várias camadas.

 

Talvez, o meu maior defeito (não muito acentuado e facilmente contornado) seja uma falha na grip. Às vezes, em portes de apenas uma camada e/ ou com rabinhos mais pesados, deixo-me descair um bocado, mas nada que uma torção extra ou uma camada extra não resolvam.

 

Defeitos há parte, eu também tenho vantagens, além do cheiro delicioso, do toque macio e do fantástico suporte sou um daqueles panos que não precisa de quebra. Fico melhor com o tempo é claro, mas os meus materiais e tecelagem conferem-me características que me permitem estar sempre no meu auge e preparado desde o início para a perfeição.

 

O meu padrão é de muita elegância e simplicidade. Vários labirintos me percorrem e criam uma harmonia divinal em ambas as faces. Dois azuis distintos, um claro e outro escuro desenrolam-se em faces distintas entrelaçando-se numa tela negra. A seda dá-me ainda uns belíssimos borbotos que me atribuem alguma textura.

 

É com carinho e orgulho que vos digo que a nossa missão não é apenas a de carregar os bebés até eles não quererem mais. A nossa missão começa, às vezes, ainda antes disso, quando os bebés ainda estão no quentinho das suas mães, e dia após dia as ajudamos a aliviar os desconfortos da gravidez.

 

 

Já me levaram a passear muitas vezes desde que o Baby A veio ao mundo, mas desta vez levaram-me até à Serra do Açor a uma belíssima aldeia chamada Relva Velha e foi lá que mais uma vez a pequena C. (a primogênita que me apelidou) me fotografou.

São belíssimas as fotos que nos tiraram, mas mais belo é a imagem das mães aos olhos dos filhos. Essa sim é uma imagem simplesmente maravilhosa."

 

Obrigado querido Eiliean por te apresentares a nós.

Este é o primeiro, o nosso primeiro e aquele que cá em casa decidimos que nunca irá embora.

Acompanhou-nos nesta viagem maravilhosa que tem sido o crescimento do nosso bebé e nunca nos desiludiu.

 

 

Débora Santos